Notícia

O movimento Pacto pela Restauração da Mata Atlântica (Pacto) se reorganiza para superar dificuldades e atingir as metas de restauração lançadas em 2009

A Edição n° 252 da Revista Pesquisa FAPESP, de fevereiro de 2017, mostra que o Pacto pela Restauração da Mata Atlântica (Pacto), movimento que integra os setores ligados à pesquisa e preservação ambiental para unificar ações de recuperação das áreas de floresta atlântica em todo o país, está se reestruturando para ganhar autonomia e atingir as metas propostas em 2009. O Instituto Internacional para Sustentabilidade (IIS) é um membro do Comitê de Coordenação do PACTO.

Após oito anos do lançamento das metas, os projetos em andamento representam menos de 1% da meta de 15 milhões de hectares de florestas recuperadas até 2050. E dentre as dificuldades para avançar nas metas está o monitoramento das áreas em restauração florestal no país. Uma das estimativas da quantidade total de área recuperada na Mata Atlântica foi realizadapelos pesquisadores Renato Crouzeilles e Rafael Feltran-Barbieri, do Instituto Internacional para Sustentabilidade (IIS).

Para ler a reportagem na íntegra: http://revistapesquisa.fapesp.br/2017/02/09/pacto-em-transformacao/?cat=politica

Compartihe: