Notícia

Qual é o valor do dano econômico causado pelas mudanças climáticas nas infraestruturas críticas brasileiras?

Este foi um dos resultados do estudo “Mudança do Clima, Infraestruturas Críticas no Brasil e Dano Econômico” – coordenado pelo associado do Instituto Internacional para Sustentabilidade (IIS) Sergio Margulis e parceiros, com o apoio do Instituto Clima e Sociedade (ICS) – para subsidiar o Ministério do Meio Ambiente em seu trabalho de implementação da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) firmada à ONU.

 O levantamento calculou o valor dos danos econômicos sobre as infraestruturas de abastecimento de água, geração de energia elétrica, irrigação, rodovias federais e portos causados por inundações fluviais, deslizamentos, secas meteorológicas, incêndios florestais e tempestades severas, em diferentes cenários de mudanças climáticas

 O valor médio dos danos esperados decorrentes das mudanças do clima é cerca de R$ 12 bilhões ao longo dos 30 anos considerados no estudo. Mas esses custos somam-se aos já esperados nos cenários sem mudança do clima, resultando em danos totais de R$ 540 bilhões em 30 anos, ou R$ 18 bilhões por ano – cerca de 0,25% do PIB nacional de hoje. Lembrando que foram consideradas apenas cerca de 300 infraestruturas do país e que o horizonte do estudo é 2040, quando os impactos das mudanças do clima ainda serão de maior monta.

 Os impactos esperados sobre essas infraestruturas são da maior importância por conta dos serviços sociais e econômicos que desempenham. As infraestruturas atuais são projetadas e construídas com base em padrões de engenharia desenvolvidos décadas atrás, tomando como base o comportamento do clima que não mais representa o atual. Com as mudanças climáticas, as infraestruturas podem não ter a capacidade de lidar com as novas cargas climáticas, forçando a adoção de políticas e procedimentos para mitigar os riscos.

Acesse o relatório: http://www.iis-rio.org/media/publications/IIS-ICS_Mudanca_Clima_BaixaRes.pdf

Compartihe: